Clique aqui

sábado, 25 de junho de 2011

Chá de Quebra Pedra








Quebra Pedra


QUEBRA PEDRA (Phyllanthus urinaria L.)



QUEBRA PEDRA

Inibe a formação de cálculos renais e facilita a sua expulsão. A comprovação da eficácia do chá pode representar uma alternativa aos actuais tratamentos para retirada de cálculos, como cirurgias e ondas de choque.

Phyllanthus, a popular Quebra Pedra é Utilizada na medicina no tratamento de problemas estomacais e urinários.

O nome popular “quebra-pedra” , em espanhol “chanca piedra” surgiu porque esta planta costuma sair de fendas de pedras ou frestas e crescer normalmente.
ambém é conhecida por erva-pombinha ou erva de S. Lourenço.

Phyllanthus vem do grego phyllon (folha) e anthos (flor), em referência às flores produzidas em ramos que se assemelham a folhas compostas. A maior parte do gênero é de origem paleotropical, com cerca de 200 espécies distribuídas pelas Américas, principalmente Brasil e Caraibas.

Ela não quebra a pedra como se pensa:

Ao contrário do que o nome popular diz, o chá de quebra-pedra não funciona exactamente quebrando as pedras nos rins. Na verdade o Phyllantus urinaria evita que os cálculos se formem e relaxa o sistema urinário, o que ajuda a expeli-los. Pelo menos é isso que foi comprovado no estudo realizado pela química Ana Maria Freitas, do departamento de Nefrologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A pesquisa constatou que o chá de quebra-pedra reduz a adesão de cristais de oxalato de cálcio às paredes do túbulo renal. Durante dois anos este chá foi ministrado a 58 ratos na forma de pó, para que os componentes não fossem alterados. Pequenas pedras de oxalato de cálcio foram implantadas na bexiga das cobaias, divididas em dois grupos. Um deles tomou a substância diariamente, enquanto o outro ingeria apenas água. Após 42 dias os animais que não tomavam o medicamento formaram uma média de 12 pedras, com cerca de 0,18 g cada. Os demais apresentaram apenas três cálculos, de aproximadamente 0,02 g.




















A análise das pedras indicou que o chá impede a aderência de macromoléculas aos cristais de oxalato de cálcio porque reverte a sua polaridade. “Os cristais prendem-se à parede celular porque há uma atracção eléctrica entre ambos”, a química esclarece. “Os cristais têm carga positiva, e a parede celular, negativa. O Phyllantus parece mudar a polaridade da carga dos cristais, e inibir assim a sua adesão ao túbulo renal”. O chá também relaxa o sistema urinário, o que facilita a expulsão dos cálculos.
A quebra-pedra (Phyllantus urinaria) é uma herbácea pequena, com caule de cerca de 50 cm de altura e muito fino, ramoso e erecto. Produz folhas miúdas e ovais. As flores são minúsculas, verde-amareladas, solitárias e dispostas na parte inferior dos ramos. Já os frutos são verde e bem pequenos. O chá preparado com a planta tem sabor amargo.





















Por se tratar de uma planta rústica, seu cultivo é muito fácil. Ela dá-se melhor em locais em meia-sombra, sem muita luz solar directa. Não é muito exigente quanto ao tipo de solo, mas é recomendável que este tenda mais para o arenoso do que para o argiloso. A planta responde bem à adubação orgânica e não suporta solo encharcado, por isso, no cultivo em vasos ou jardineiras é preciso ter muito cuidado com o excesso de água.

Limite a ingestão de certos alimentos:
Para pedras de oxalato de cálcio: limite a ingestão de alimentos com altos teores de cálcio (laticínios) e suplementos de cálcio ou de vitamina C. Limite também a ingestão de alimentos com altos teores de oxalato tais como bebidas à base de colas, chá, chocolate e amendoim.



Para pedras de ácido úrico: limite alimentos com altos teores de purina tais como anchovas, aves e miúdos de carne. Estes alimentos aumentam a produção de ácido úrico.



Para pedras cistinas: limite a ingestão de alimentos com altos teores de metionina, comum na carne de peixe e aumentam a produção de cistina.



Modo de utilizar: Juntar aproximadamente 10 grs. de chá a 1/2 litro de água, deixar ferver por 3 a 5 minutos e coar. Tomar quente ou frio.



Obrigado por visitar no site: Plantas Medicinais Amazonas


http://plantasmedicinaisamazonas.blogspot.com
















2 comentários:

Anderson Porto disse...

O nome científico da quebra-pedra não seria Phyllanthus niruri ???

Amandita disse...

Olá colega,

Vim agradecer sua visita no meu blog. Adorei o seu. Já tomei muito chá de quebra pedra na minha adolescência, quando sofri com cálculos renais. Felizmente não precisei fazer a cirurgia. Na região amazônica, onde vivi muitos anos, entre o Pará e o Amazonas, acabamos usando muito a medicina alternativa, como as ervas medicinais. Os resultados são surpreendentes mesmo.

Um grande abraço e parabéns pelo espaço. Muito útil.

CLIQUE ABAIXO PARA FOVORITAR