Clique aqui

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Azedinha planta medicinal para doenças do fígado



Nome popular AZEDINHA

Nome científico Oxalis acetosella L.
Família Oxalidáceas
Sinonímia popular Oxálida-azeda

Parte usada Folhas frescas
Propriedades terapêuticas Febrífuga, diurética, refrescante, depurativa, expectorante, adstringente, desopilante, descongestionante
Princípios ativos Ácido ascórbico, mucilagem, oxalatos (ácido oxálico e oxalato ácido de potássio)
Indicações terapêuticas Inflamações intestinais e da bexiga, constipação, feridas, gengivite, febre

Atenção

Não confundir esta azedinha (Oxalis acetosella L.) com outra azedinha (Rumex acetosa L)

Nomes em outros idiomas

  • Sauerklee: alemão
  • Acederilla, aleluya: espanhol
  • Alléluia: francês
  • Wood sorrel: inglês
  • Acetosella: italiano

    Partes usadas

    Folhas frescas. As folhas secas perdem quase todas as suas propriedades terapêuticas.

    Propriedades terapêuticas

    Febrífuga, diurética, refrescante, depurativas nas inflamações intestinais e da bexiga (nefrites), expectorante, adstringente, desopilantes e descongestionantes do fígado (indicado na icterícia), antiescorbútico pelo teor de vitamina C.

    Uso medicinal

    Por suas propriedades febrífugas, diuréticas e refrescantes é muito apreciada por todos aqueles que se voltam para a natureza para curar e prevenir os seus males. O seu sabor ácido é muito agradável.

    Quem quiser uma cura branda, mas contínua, contra as inflamações intestinais e da bexiga pode misturar algumas folhas frescas à salada. Ricas em vitamina C, as folhas são também um remédio eficaz contra a constipação.

    Para uso externo, ela possui um efeito adstringente em feridas, ajudando com isso a uma cicatrização mais rápida. Compressas de folhas esmagadas servem para reduzir os inchaços. Antigamente as folhas frescas eram mastigadas para curar casos de gengivite.

    Dosagens indicadas

    Abscessos frios (cataplasma): misturar um punhado de folhas frescas, cozidas e mornas, com uma colher de azeite puríssimo, aplicando sobre o abscessos com um pedaço de gaze.

    Diurético (decocção): ferver por 5 minutos, 50g de folhas em um litro de água. Consumir o líquido frio, em calicezinhos durante o dia.
    Infusão: com as mesmas doses da decocção, obter um medicamento mais suave.

    Febre (decocção): ferver em um litro de água 60g de folhas. Adoçar um pouco e beber em calicezinhos durante o dia.

    Intestinos (inflamações, decocção): colocar em uma panelinha 25g de azeite com 50g de folhas frescas de azedinha, 15g de folhas frescas de cerefólio, 15g de folhas de alface e 15g de folhas de beterraba. Ferver tudo até que as folhas estejam cozidas. Passar o líquido por um pedaço de tela, apertando bem para extrair todo o líquido. Beber uma colher de hora em hora até a inflamação desaparecer.

    Contra-indicações

    A planta, utilizada por propriedades estimulantes desde a antiguidade, deve ser usada com moderação. Por ter um alto teor de ácido oxálico, deve-se limitar o uso principalmente por aqueles que sofrem de cálculos renais. Contra-indicado também em casos de gastrite.

    É importante não exceder a dose para evitar efeitos tóxicos. O consumo exagerado desta planta induz a sintomas de intoxicação.

    Efeito colateral

    O ácido oxálico contido nesta planta na forma de oxalato ácido de potássio reduz a absorção do cálcio por parte do organismo.

    Uso culinário

    Um punhado de folhas frescas picadas pode ser adicionado à saladas, conferindo-lhes um agradável e estimulante sabor ácido. Pode também ser utilizado para enriquecer o sabor de sopas de legumes e molhos.

    Curiosidades

    O nome do gênero oxalis vem do grego óxos, vinagre, devido à característica condimentar de suas folhas, e o termo é reforçado pelo nome da espécie.

Nenhum comentário:

CLIQUE ABAIXO PARA FOVORITAR